12 de junho de 2016
Santiago, capital do Chile declara pré-emergência ambiental por poluição
Recomenda-se, ainda, que as atividades ao ar livre sejam evitadas e que as aulas de educação física sejam suspensas nos colégios.
Overview of Santiago showing a layer of smog caused by the local industries and the growing number of cars stationary over the Chilean capital, June 11, 2009. AFP PHOTO/Martin BERNETTI

A capital chilena amanheceu na quinta-feira (2) sob a primeira pré-emergência ambiental de 2016 devido aos elevados índices de poluição do ar, o que implica limitar a circulação de veículos, informaram as autoridades na quarta-feira.

A medida foi adotada “devido às más condições de ventilação e com o objetivo de proteger a saúde da população”, afirmou a Intendência Metropolitana em um comunicado.

A pré-emergência implica também na proibição de ligar qualquer tipo de aquecedor à lenha ou biomassa.

Recomenda-se, ainda, que as atividades ao ar livre sejam evitadas e que as aulas de educação física sejam suspensas nos colégios.

A medida foi tomada após as 11 estações de monitoramento da capital terem registrados níveis de poluição de entre 300 e 499 microgramas de partículas nocivas por metro cúbico, consideradas altamente prejudiciais para a saúde.

A pré-emergência é o segundo nível em intensidade de poluição. A partir de 500 microgramas é decretada a emergência, que implica em medidas restritivas mais severas, como proibir a circulação de uma porcentagem maior dos veículos.

No inverno, a poluição se intensifica em Santiago pelo ‘engavetamento’ geográfico, visto que a cidade é um vale rodeado por colinas e pela Cordilheira dos Andes, colocando a capital, de sete milhões de habitantes, como uma das mais poluídas da região.